por Wilian Delatorre

Wilian Delatorre > Agência de Turismo
Passagens Aéreas > Passagens Aéreas com Milhas>
Hotéis > Seguros > Locação de carro

terça-feira, 2 de setembro de 2014

DOH-BKK-CDG-LIS-MAD-GRU - Parte II - por Celso

2º parte do relato da emissão.

5- A emissão específica de volta
A viagem, com emissões obrigatórias em classe superior, de volta será dos Emirados- diante das exclusões e condições impostas – haveriam as seguintes opções-
5.1. QATAR – AIR FRANCE ou KLM – Os voos de tanto de DXB como AUH via DOH tem disponibilidade somente em First class de somente 02 assentos por voo, mas com vários voos por dia para CDG ou LHR, apenas. Logo, optando por essa emissão ao custo inicial de 30.000 milhas por passageiro haverá necessidade de emitir XXX-LIS em outro bilhete ao custo de mais 18.750 milhas por bilhete. Para o primeiro bilhete há disponibilidade diária, em múltiplos voos em First, porém somente num voo não há necessidade de pernoite em Paris, o mesmo se optarmos por LHR (Londres). Neste ultimo caso a saída seria por AMS. Sua bagagem despachada fica restrita a 50 kg. por passageiro em First e 64 Kg. (2x32kg) na Business intra europeia. Seria uma dispendiosa opção, com disponibilidade diária. O custo do trecho seria 48.750 milhas por passageiro, se for a LIS.
5.2. AIR FRANCE – pura – o trecho DXB-CDG não tem disponibilidade.
5.3. KLM pura- o trecho AUH-LIS tem disponibilidade variável sempre de no mínimo 4 lugares em executiva. Custo total de 22.500 milhas por passageiro. Inconveniente nebrasca em AMS e voo na executiva europeia que tem a mesma configuração da econômica com bloqueio do assento do meio.
A emissão do trecho UAE>Europa em princípio parece ser a de menor disponibilidade e maior dificuldade.

6-A volta da Europa para o Brasil
A viagem, com emissões obrigatórias em classe superior, de volta partirá de LIS ou OPO para o Brasil com as seguintes opções-
6.1. AIR FRANCE–Os voos de LIS para CDG tem pouca disponibilidade em C. Os voos de CDG para GRU tem disponibilidade variável. Parece que de tempos em tempos o SMILES negocia assentos com a AIR FRANCE. Aqui a emissão em C ao custo de 52.500 milhas por passageiro, dependeria da disponibilidade. Havendo disponibilidade seria segunda opção. Inconveniente nebrasca em CDG em janeiro.
6.2. Ibéria – pura – o trecho LIS-MAD-GRU tem disponibilidade para até 4 passageiros no mesmo voo, ao custo de 59.000 avios por passageiro. Não há risco de nebrasca. Seria a última opção. Voa com o velho A342 com configuração antiga.
6.3. TAP pura- o trecho OPO ou LIS-GRU tem disponibilidade variável sempre de no mínimo de 2 e raramente 4 lugares em executiva. Custo de 50.000 milhas por passageiro. Voo direto na TAP, empresa Skytrax 3*. Havendo disponibilidade seria primeira opção.

E chega a hora da emissão..............
Para minha surpresa entre o Natal e o Réveillon, este ano, a Qatar só abriu disponibilidade num único dia exceto se optarmos por voar na noite da virada (pode ser que futuramente abram outros dias). Surpresa maior quando não abriram disponibilidade para DXB ou AUH, nesse período em nenhuma classe, em nenhuma data.
Com 400.000 milhas no Smiles precisar desovar e como milha boa é milha voada, pesquisei a partir de DOH, quais seriam os destinos e voos disponíveis com a Qatar em classe superior e notei farta disponibilidade. Diante disso, juntamente com a esposa decidimos passar o Réveillon em.................................. Bangkok. Emiti dois bilhetes em classe executiva com a Qatar ate BKK com escala em DOH. Nossa ida aos Emirados ficará para outra oportunidade.
Bilhete emitido, aguardo a abertura de disponibilidade de retorno (cuidado, não faça o que fiz a menos que disponha de farta quantidade de milhas como tenho ainda neste momento no Executive Club, Smiles e Tap). Pretendo agora ficar no máximo 7 dias em Bangkok e retornar ainda na primeira semana de janeiro para a Europa (altíssima temporada também com alta ocupação nos voos ).
Todo planejamento para os UAE não pode ser executado pela falta de disponibilidade. Poderia aguardar, mas diante da entrada da Qatar na ONEWORLD não sabia se poderia desovar no futuro tantas milhas na Qatar que estavam no Smiles. 75000 milhas One Way, por bilhete em executiva, para Ásia pela Qatar é barbada......... não se pode perder! (não sabia na época que a tabela do Smiles iria aumentar o valor para emissão!)

Agora vejamos a volta ate LIS.
Opções-

1- AIR FRANCE – BKK-CDG-LIS
2- KLM ---- BKK-AMS-LIS
3- QATAR+AIR FRANCE, QATAR+TAP ou QATAR+IBERIA (Emissão de 2 bilhetes por passageiro)
Qual não foi minha surpresa quando não abriu nenhuma disponibilidade em classe superior de BKK para a Europa antes de 15 de janeiro em nenhum dos programas de fidelidade citados. Bem e agora?

Agora a saída encontrada foi emitir um bilhete ONE WAY através do Executive Club com a Malasya Airlines, companhia Skytrax 4* (no momento da emissão não havia ocorrido o acidente com nenhum dos 777), de Bangkok para Kuala Lumpur, em classe executiva, por 30.000 avios, sendo que se fosse emitir Star pela TAP gastaria 100.000 milhas e seria obrigatória emissão round trip perdendo a volta. Kuala Lumpur foi o único destino na Ásia, próximo a Bangkok, que não precisava de visto e permitiria retorno a Europa com emissão feita através de milhas na primeira semana do ano. Após 15 de janeiro havia disponibilidade de vários destinos para retorno a Europa direto ou via DOH.
Voaríamos no 738 de BKK>KUL, da Malasya Airlines com conexão imediata no 772ER da Air France para CDG e nova conexão 6 horas após para LIS com o A 320 da Air France, todos os voos em executiva. Consegui voltar da Ásia exatamente na data que desejava.
A turbulência política em Bangkok e o golpe de estado foram posteriores inclusive as minhas reservas confirmadas de hotel.
Chegada em Lisboa e a emissão de volta ao Brasil tem disponibilidade em executiva nas datas que gostaria. Mas optei por emitir com a Ibéria, em executiva no A 320 até Barajas e no A 346 até GRU, pois o assento do A346 é full flat bed (o da TAP não é) e conheceria o lounge mundial da Ibéria no T4 S que dizem ser bom.
Bilhetes emitidos e pra variar outro tombinho, o A346 não está mais voando nesse voo (temporariamente parece!) e o velhíssimo A343 assumiu o voo com assento é lie flat! o que não queria.
Entretanto do momento da emissão até hoje, Doha inaugura seu novo aeroporto internacional. Hamad International Airport, com investimentos de 34 BILHOES de reais, capacidade de 50 milhões de passageiros ano e quando concluído 100 milhões de passageiros ano. Tem a pretensão de ser eleito de imediato o melhor aeroporto do mundo, contando com sofisticações que o aclamado Changi Airport de Cingapura não possui. Veja aqui do que falo > http://dohahamadairport.com/ . Fico na expectativa de como será o lounge.......
Neste momento que escrevo este texto já emiti minha futura viagem a Londres, Paris e aos Emirados, mas agora em First Class. Isto será outra viagem.
Aguardo a viagem para relatar o ocorrido.