por Wilian Delatorre

Wilian Delatorre Personal Travel,
o seu agente pessoal de passagens com milhas e roteiros.

sexta-feira, 6 de março de 2015

Retornando com a Ibéria - por Celso

Segue o relato do Celso em seu retorno com a cia. espanhola Iberia.



Foi com chuva do lado de fora do terminal que fizemos nosso check in. Com as malas fomos ao setor de alfandega para obter o carimbo e colocar o envelope na caixa do Correio e não ter que pagar com débito no nosso cartão de crédito o imposto que o Tax refund do Free Port já nos tinha devolvido em cash. As malas são dali despachadas diretamente ao avião e não do guichê de check in caso você tenha mercadorias e produtos para exibir. Agora sim fomos ao lounge da Ibéria em LIS. O lounge utilizado é o Blue Lounge. Simples é verdade, mas para um voo muito curto, cumpriu a função inclusive com poucos petiscos, mas gostosos. Embarcamos num A 320 rumo a Madri.


Chegamos em Madri com muita chuva. O A320 pousou no terminal 4 após curto voo sem nada de especial ou comprometedor. Nosso voo decolaria depois de horas do terminal 4S.
O transfer entre o terminal 4 e 4S foi feito numa Van sob um túnel com 3,5km de extensão, por debaixo de pátio ou pista até atingirmos o terminal de voos de longa distância da Ibéria.


Chegamos ao Lounge Mundial da Ibéria em Madri – O lounge Velasques. Muito amplo e mesmo nosso voo sendo o antepenúltimo a decolar o catering foi farto o tempo todo.


Farta opção de vinhos a sua escolha.


Várias ilhas com oferta de bebida e outras com buffet.


Opções com grande variedade e fizemos nosso jantar.


Além do Wi-Fi que funcionava bem havia workstation velozes também.


Antes do voo fui tomar um banho e novamente encontrei instalações adequadas.


Agora iria sentir a nova businness class da Ibéria no A340-600. Deixei de voar com a TAP na volta por causa do assento da Ibéria na nova executiva ser full flat e o da TAP não. Note que nem todos os voos do Brasil ou para o Brasil estão voando neste momento com a nova configuração de classe executiva.


Há monitor de boas dimensões e bem posicionado na frente da poltrona. Os assentos têm à disposição IZI. Tem tal forma que na ponta de qualquer das letras há um assento, sendo a disposição 1-2-1, mas no meio viajam juntos apenas os passageiros de fila sim fila não.


O voo foi muito, muito cansativo. A poltrona é estreita e desconfortável nas laterais e para agravar o Otoman (descanso inferior para os pés) era extremamente apertado e desconfortável. Não consegui ter sono longo. A toda hora acordava com dor em algum lugar pelo desconforto da posição.


O serviço de bordo foi frio por parte da tripulação e o catering fraco para classe executiva. A Ibéria em classe executiva está no mesmo nível da TAP, ou seja, entre as piores que operam a rota Brasil-Europa. Agora é chegado o momento do pouso!
Dias antes de embarcar para Bangkok um dos meus cantores prediletos faleceu. Joe Cocker cujo passado carregado pela dependência de drogas e álcool lhe debilitaram juntamente com o tabagismo. Seu admirável talento permanece na minha lembrança.



Quem sabe o que o amanhã traz?
Num mundo, poucos corações sobrevivem
Tudo que sei é o modo que me sinto
Quando é verdadeiro, eu mantenho vivo.