por Wilian Delatorre

Wilian Delatorre > Agência de Turismo
Passagens Aéreas > Passagens Aéreas com Milhas>
Hotéis > Seguros > Locação de carro

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

De Auckland a Los Angeles – um outro mundo. Parte I



Uma das coisas que me encantam na Austrália é a definição de imagem das transmissões australianas. Enquanto, Nicolas nos brinda com essa grande interpretação vamos nos entretendo com o relato da viagem de Auckland para Los Angeles.
O nosso primeiro seguimento seria AKL-SYD na Austrália num A 330-300 da Qantas, em classe executiva, configurado com novas suítes.


Comparado ao moderno 787-9 da LAN que voamos no sentido SYD>AKL, podemos sentir como o serviço da LAN CHILE é péssimo.


A suíte da executiva da Qantas é infinitamente superior em conforto quando comparada com a LAPORCARIA chilena.


Voamos logo na manhã da véspera do dia de Natal e fomos recebidos por essa simpática tripulante que nos serviu durante o curto trecho de 3.30h. Tanto o serviço de bordo, com bebidas em geral eram MUITO melhores que os da LAN.
Chegamos a Sydney no Terminal 1 – Internacional. CUIDADO AQUI. SYDNEY tem 2 terminais e o terminal nacional é de transfer demorado. Ao pousar no terminal internacional você deve obrigatoriamente pegar sua bagagem e realizar o re-despacho, tendo numa mesma reserva os dois tickets não necessitará novo check in. Pegue o Shuttle, no caso da Qantas e vá para o terminal doméstico para o embarque seguinte. Em Sydney conexões com menos de 3.30hs. são altamente prováveis de gerar perda do voo seguinte, havendo necessidade de troca de terminais. Na internet procure por TMC – Time minimum connection e poderá obter os tempos mínimos preconizados para conexões ao longo dos vários aeroportos do mundo. Particularmente, em alta temporada, por segurança acrescento 1 hora ao TMC preconizado pela IATA, mesmo viajando em classe superior.
Fomos para o novo embarque e utilizamos o lounge domestico de classe executiva que é bom sendo melhor que o de Auckland.


Nosso voo de Sydney a Perth foi num A330-200 da Qantas que tinha cabine exatamente igual ao A 330-300 do voo anterior. Dispensado maiores relatos.


Chegamos ao aeroporto de PERTH no oeste australiano, no Terminal doméstico. Fomos pegar nossas 4 malas despachadas e 3 estavam bem destruídas! Relatamos o fato que de pronto foi reconhecido pela Qantas que em função de nosso voo imediato nos orientou que ao chegarmos ao Brasil procurássemos a empresa que repara malas que a mesma trabalha para a Qantas e o reparo ocorreria mediante a exibição do termo entregue a nós. Iriamos fazer o check in no voo da Emirates EK 421, no Terminal internacional rumo a Dubai. Havia 6 h de intervalo entre a chegada e a decolagem. Passaríamos a noite de Natal ceiando no A380 na First Class do voo da Emirates. O que não sabíamos é que o terminal internacional ficava a grande, imensa distância e entre sair do terminal nacional até nos apresentarmos ao check in na Emirates se passou mais de 1 hora. O transfer feito por ônibus gratuito do aeroporto é MUITO LONGO, longo mesmo.


Fomos ao check in.


O lounge da Emirates em Perth atende passageiros da executiva e da First Class indistintamente, mas é muito bom, diria excepcional.


Tudo que saboreamos estava delicioso, inclusive bebidas premium a vontade.


Essas Tâmaras recheadas estavam de matar!


Chegamos a nossa cabine para um voo de 11.20min até Dubai, onde na First Class haviam nós e mais 1 passageiro, para 4 comissários e 2 “tripulantes” para limpeza do Spa.



Vamos a Califórnia com muito, muito luxo e conforto no A 380. Se o 787 é voltado a economia e lucro das companhias o A 380 é o padrão ouro de conforto ao passageiro. Vamos então ao relato desse primeiro voo até Dubai. Isso no próximo post.
Continua.....